viasdefato.com

Direito e Tecnologia da Informação

Acionar judicialmente o buscador é a melhor solução?

Posted by Samuel Cersosimo em 18 julho 2009

Em uma das primeiras decisões conhecidas sobre o assunto, a Justiça obrigou um site de buscas a alterar seus resultados em relação ao nome de uma pessoa, ao entender que uma notícia já antiga, publicada na internet, feria sua honra. O julgado confirma um entendimento há muito aguardado pelos advogados especializados em Direito eletrônico: na falta de regras para tratar situações específicas da internet, as possibilidades abertas pelo novo meio devem ser usadas ao extremo para a satisfação da Justiça.

A decisão, adotada em fevereiro pelo juiz Anderson Ricardo Fogaça, substituto na 20ª Vara Cível de Curitiba, obriga o site de buscas Google a atualizar o resumo de uma notícia, que aparece nas pesquisas [ver decisão]. Em 2004, o empresário Manoel Knopfholz foi condenado em primeira instância por estelionato e uso de documento falso, o que foi noticiado pela revista Consultor Jurídico. Três anos depois, Knopfholz foi absolvido em segundo grau, devido à prescrição dos crimes, o que foi novamente veiculado pela ConJur. O empresário alegou, porém, que a notícia da condenação continuava a aparecer em pesquisas no Google com o seu nome, causando-lhe prejuízos morais.

Fonte: Alessandro Cristo, revista Consultor Jurídico

No caso acima, não só o juiz ordenou que o Google informasse, no resumo do resultado da busca, que o sujeito já havia sido absolvido, como também determinou que o resultado das buscas fosse randomizado, para que a notícia da condenação não mais aparecesse em primeiro lugar nos resultados, mas sim aleatoriamente.

Guilherme Ostrock, abordando o assunto na lista de discussões do IBDI – Instituto Brasileiro de Direito da Informática, sugere a pouca eficácia da estratégia de se ajuizar ação contra o site de buscas, considerando, por exemplo, o risco do site ser superado por outro serviço, a exemplo do Bing vir a superar o Google:

Tendo isto em vista, não seria mais eficaz ajuizar a ação contra quem criou a página pedindo que a restrição fosse feita através do “disallow” de todos os “user-agents” pelo robots.txt [?] ou usando os atributos “noindex, nofollow” para a meta tag robots?

Vejo estas como a alternativa mais viável a casos em que deseja que se implemente na marra o “direito ao esquecimento” pois fazendo a restrição no buscador, pelo nome da pessoa, p. ex. pode restringir a localização de uma página pessoal que ele venha a ter interesse em divulgar futuramente, além de prolongar a efetividade da setença no tempo caso haja uma alteração no domínio do mercado.

Essa parece ser realmente uma solução mais adequada e pontual, além de atingir o causador direto do dano, sem prejudicar os resultados de pesquisas no buscador.

Uma resposta to “Acionar judicialmente o buscador é a melhor solução?”

  1. Para quem não entendeu a dica do Guilherme Ostrock, segue a explicação do mesmo lá na lista de e-mails:

    Qualquer dos métodos utilizados tanto o do robots.txt quanto o da metag indicariam ao que aquela página específica não deve ser indexada.

    Especificamente quanto ao Google e Yahho que respeitam os padrões web, ao encontrarem esta instrução não mais armazenaram a página e a exclusão do banco de dados ocorrerá no máximo em quatro a cinco dias, dependendo da frequência com que os robos passem pelo site

    O google diz na seção de webmasters: “You can instruct us not to include content from your site in our index or to remove content from your site that is currently in our index”

    http://www.google.com/support/webmasters/bin/answer.py?answer=35301

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s